quinta-feira, abril 13, 2017

Mercedes Blasco: o Fado da sua Vida ou «Os Fados da Mercedes»


Em 2013 fui convidada a colaborar no catálogo da exposição O Fado e o Teatro, uma organização conjunta dos Museu do Fado /Museu do Teatro, tendo escrito um artigo sobre Mercedes Blasco (1867-1961), uma artista multifacetada que, também na área do fado foi pioneira e completamente silenciada.

Na verdade Mercedes Blasco foi, como penso que ficou demonstrado, uma pioneira nos palcos e na vida, uma mulher que esteve sempre à frente do seu tempo e abriu caminhos até então inóspitos.

No próximo mês de Setembro completam-se 150 anos do seu nascimento. Soube, no entretanto, que se prepara um colóquio internacional. Nada mais justo. Mas como este artigo não teve grande divulgação e pode, de alguma forma, vir a dar uma contribuição útil, aqui o deixo tal como saíu no referido catálogo.  No final vão os dados técnicos do mesmo.

Mercedes Blasco foi uma grande Mulher e bem merece ser conhecida e divulgada.

julia coutinho






















 














 ASSENTO DE BAPTISMO DE MERCEDES BLASCO




Nota: nesta página existe um erro:  o pai chamava-se José Marques; José Maria Marques era o nome do irmão.







  Nota: na Bibliografia acima falta a consulta à imprensa da época: O Século / O Mundo / Diário de  
  Lisboa / Ilustração Portuguesa etc.






CATÁLOGO O FADO E O TEATRO, EGEAC - Museu do Fado / Museu do Teatro, 2013
 






terça-feira, abril 11, 2017

Mulheres Pioneiras em Engenharia Civil



Ainda a propósito da morte da decana das engenheiras, Maria Amélia Chaves, deixo aqui a investigação que desenvolvi em 2011 para determinar quais as primeiras engenheiras civis portuguesas e que veio a ser publicada na revista Faces de Eva nº 27, 2012.

Com ela desfizeram-se mitos e repôs-se a verdade dos factos.

As Cartas de Curso, como se chamavam então os actuais Diplomas, estão no final.

Trata-se de um trabalho mais desenvolvido de uma comunicação apresentada ao colóquio «Amanhã, as Mulheres» no Dia Internacional da Mulher, 8 Março 2011, no Santiago Alquimista.

Aqui fica, para memória futura.




UMA MULHER ENTRE HOMENS... EM 1937