domingo, agosto 06, 2017

João da Silva: o carrasco do Tarrafal e de Caxias que teve uma morte impressionante


Devo a António Dias Lourenço o ter-me revelado a morte deste «carrasco do povo» num desastre que ele mesmo provocara, na avenida da Liberdade, em data que não conseguiu lembrar. Recordava, sim, o enorme regozijo das hostes comunistas e antifascistas que, durante muitos e muitos dias afluíram ao local numa espécie de «romaria» como que a certificarem-se de que a besta morrera mesmo.

O desastre ocorreu a 15 de Janeiro de 1960, conforme as noticias abaixo de O Século e do Diário de Lisboa do dia seguinte.


Jornal O SÉCULO, 16 Janeiro 1961


Diário de Lisboa, 16 Janeiro  1960

João da Silva, que dirigiu o Campo do Tarrafal a partir de Outubro de 1938 e, mais tarde esteve à frente da prisão de Caxias, até atingir o limite de idade, foi definido por Sérgio Vilarigues como «um homem sem escrúpulos e quaisquer sentimentos humanos» e «um autêntico carrasco para os presos»
(Avante! 1266, 5 Março 97).







Sem comentários: