quinta-feira, janeiro 21, 2010

No bicentenário de Chopin (1810-2010)




CHOPIN, 1831

Estás em Viena, inclinado sobre a primavera
com dedos brandos a tactear saudades. Folheias
um álbum com recordações de Varsóvia e sabes
que a solidão é uma ave sufocante e implacável,
um ofício que verte nas teclas todo o seu desespero.

Escreves, tu que foste feito para cantar,
breves, sincopadas notas íntimas onde cabe,
totalidade de insónia e fogo, o coração
que teimas em adiar. Que mal existe em estar
saudoso, em sentir que a cidade amada se escapa
pelo vazio dos dedos, a latejar de sofrimento?

É como se enlouquecesses. Notícias chegam
de que a cidade continua a padecer de uma dor
que mora nas casas, nos quartos, nos livros
na alegria contida das mazurkas. 1831, não
crês que seja possível resistir por mais tempo
e é mais um pedaço de ti que morre na clave
de sal de um estudo menor, patriótico até
à profundidade sem música das lágrimas.

Escrever para onde, eu que te amo na carne
trágica de um prelúdio universal? Dou por mim
a cantar-te em timbre de carta sem remetente,
sem endereço, sem data possível. Separa-nos,
impiedoso, um tempo na tortura das lembranças
esquecidas a um canto do piano neste quarto.

Falavas de nostalgias e inquietação e eu não sei
de outras palavras que melhor pudessem dizer
a substância de cinza e ouro de que a tua música
é feita. Queres voltar pela vertente mais agreste,
pelo caminho de treva que a lugar algum conduz
e eu estou à tua espera no arco nocturno
da cidade amada para te dizer que ninguém
é estrangeiro quando tu tocas, que ninguém
de si mesmo se divide no círculo de âmbar
do teu mágico, lírico, desesperado canto.


José Jorge Letria in Carta de Afectos, Livros Horizonte, 1989

4 comentários:

Anónimo disse...

Querida Amiga Júlia,

Desconhecia este poema de José Jorge Letria a Chopin. O melhor intérprete de Chopin, vivo, é, na minha opinião, Grigory Sokolov que "descobri" há talvez uma década e meia, num recital no Palácio de Queluz. Os encores do grande Sokolov deram-nos a ouvir Chopin. Apaixonei-me completamente e fui seguindo as interpretações do grande pianista...

É difícil encontrar CDs de Sokolov. Creio que grava "apenas" recitais ao vivo: Chopin, Beethoven.

Beijo,

Vera

Vera T. Santana disse...

*

Vera Santana

com senso disse...

Amiga Júlia Coutinho

Esta é uma daquelas músicas que sentimos que nos acompanharão até ao fim dos tempos.
Quanto ao Grigory Sokolov que noutro comentário foi referido é possível encontrar CDs dele e até um DVD na Amazon UK e na Amazon USA, que mesmo com o custo de portes acaba por não ficar muito mais caro do que comprado numa loja em Lisboa.
Um beijinho e votos de um excelente fim de semana!

EDUARDO POISL disse...

Que a minha solidão me sirva de companhia,
que eu tenha coragem de me enfrentar,
que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir, como se
estivesse plena de tudo".

Clarice Lispector


Desejo um lindo domingo para você.
Abraços com todo meu carinho