quarta-feira, janeiro 17, 2007

O Crime de Amar de Mais


É a «justiça» que temos e os juízes (alguns juízes) que temos. Um homem foi ontem condenado em Torres Novas a seis anos de prisão por se recusar a entregar a um desconhecido, o pai biológico, uma menina de cinco anos de quem, abandonada pela mãe, esquecida pelo pai, ele e sua mulher cuidam desde os três meses de idade.

O pai biológico nunca quis saber da gravidez da mulher com quem tinha tido o que, entre risinhos, chama de «caso casual». Só viu a bebé duas vezes, de passagem, uma quando foi chamado a fazer testes de ADN, outra dois anos depois.

Agora, em vésperas de a criança fazer cinco anos, decidiu reclamá-la. E o tribunal, pura e simplesmente, mandou que ela lhe fosse entregue, apesar de os psicólogos dizerem que arrancá-la àqueles que ela considera seus pais e entregá-la a um desconhecido será «dilacerante».

Para evitar à filha adoptiva (o processo de adopção estava em curso) a dilacerante separação, Luis recusa-se a revelar o seu paradeiro. Resultado: seis anos de prisão.

Porque os juízes (alguns deles) já não fazem «justiça», são meros burocratas da lei.

E a lei de tais juízes tanto dá para condenar a uma multa de 720 euros um polícia que matou um homem a tiro como para mandar seis anos para a cadeia quem, como o Luís, comete o crime de amar de mais.

(Manuel António Pina, Jornal de Notícias de 17.01.2007)


11 comentários:

Teresa David disse...

Por acaso este foi um caso que me causou um enorme mau estar.
Bjs
TD

wind disse...

É a (in)justiça que temos!

titas disse...

Não sabia deste caso criminoso... e ocorrido na minha terra natal.

Por estas e por outras, utilizei no meu blog a expressão latina "até quando, "Catilina"-Justiça abusarás da nossa paciência?"

Noel Santa Rosa disse...

O Luís não ama demais a filha.
Ama-a e ponto final.
Ama-a porque é o pai e preocupa-se com a sanidade mental daquela criança que viu dar os primeiros passos, a cuja cabeceira da cama esteve nas febres, no romper dos dentes, a quem deu o colo, com quem brincou, a quem ajudou a pronunciar as primeiras palavras...
É o pai.
Ser pai não é só dar o espermatozoide.
É muito mais do que isso.
É amar incondicionalmente, é amar a pontos de se dar a vida caso seja necessário para que a criança cresça feliz e equilibrada.

Este é o país que temos.
Gastam-se milhões numa campanha pelo NÃO à alteração da lei da IVG mas depois entrega-se uma criança a um desconhecido que eventualmente só a quer por capricho ou para fazer com ela o mesmo que fez à mulher que abandonou.

Este país não existe.
É uma alucinação a quem alguém chamou um dia país e que muitos se convenceram de que o é.

Beijos da tua amiga
Noel

Menina_marota disse...

Apetecia-me dizer, não existe justiça em Portugal. Ela está PODRE!!! (já disse!!)

Subscrevo na totalidade as palavras da Noel. O que eu ia dizer é exactamente tudo o que foi dito por ela.

Que Deus lhes perdoem, porque nao sabem o que fazem.

Um abraço

Paula Raposo disse...

Muita coisa vai mal neste sítio onde vivemos! Concordo inteiramente com a Noel! Beijos.

herético disse...

filhos são aqueles que nos caem nos braços. cem por cento de acordo contigo. abraços

henrique doria disse...

Estou diariamente no meio dessa justiça. O seu autismo e a sau arrogância são chocantes.Um beijo

Seila disse...

oh! Noel mas a lógica é integral. o que interessa mesmo é o esperma e o óvulo enauqnto na barriga da mãe se encrava no útero ... depois de nascidos podem ser tratados como calhar quem se importa realmente pelas crianças que precisam QUEM?! mas preocupam-se bué com os bracinhos o coraçãozinho ...e os bracinhos o coraçãozinho que se chama Sofia, Ana teresa ou catarina e mora na barrca ou no 3º frente do prédio onde o filho tem um "pequeno apartamento" enquanto está na universidade?! ops tu desculpa Júlia, mas estas falsidades e injustiças revolvem-me as entranhas...ainda! sempre!

El Navegante disse...

Oi Julia: Uma aleg´ria muito grande , ao fin, estat mais uma vez na tua casa.
E olham, voy falar nao só pro o qeu vc conta, que é terrível, tam´bem vou flalr por cosas que acontecen na minha terra mesmo, e nao se enconran raçeos nenhumas dentro da lógica da mente humana.
Há juizes que más que burócratas, sao hipócritas da Justicia,cega, que cegamente juraron ficar como seus esclavos.
Mais que isso parecen ser seus hicpocritas donhos.
Um grande beojo para vc, e tudo de bom.
Parabéns oela constante preocupaçap que vc tem, de morar en um mundo melhor.

Seila disse...

gostava que lesses
aqui