terça-feira, fevereiro 14, 2006

Amor e Liberdade

14 de Fevereiro - Dia dos Namorados.
Como se fosse necessário um dia específico
para nos lembrar que o AMOR é urgente.
Necessário. Saudável.
... É o consumismo ditatorial a determinar
os "dias" mais convenientes
para a sua própria sobrevivência...

A verdade é que depois do 25 de Abril TODOS podem namorar.
Publicamente. Sem constrangimentos.
Novos e velhos.
Sem falsos pudores.
Pode-se andar de mão-na-mão livremente.
Beijar livremente.
Acariciar.
Mostrar que o amor é (tem que ser) uma prática diária.

......
Mas nem sempre foi assim.
Aqui fica um documento a atestá-lo.
Trata-se de uma Postura da Câmara Municipal de Lisboa
(e quantas outras não existiriam por esse país fora...)
a coberto dos "bons costumes" ...
Por que Salazar zelava.
Através da Polícia de Costumes.
Era a repressão nua e crua.
Estávamos em 1953.

Para Memória Futura.


CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

Aditamento à Postura Municipal nº 69.035, de? De 1953

«Verificando-se o aumento de actos atentatórios à moral e aos bons costumes, que dia a dia se vêm verificando nos logradouros públicos e jardins, e, em especial, nas zonas florestais Montes Claros, Parque Silva Porto, Mata da Trafaria, Jardim Botânico, Tapada da Ajuda e outros, determina-se à Polícia e Guardas Florestais uma permanente vigilância sobre as pessoas que procurem frondosas vegetações para a prática de actos que atentem contra a moral e os bons costumes.

Assim, e em aditamento àquela Postura 69.035, estabelece-se e determina-se que o Artº 48º tenha o cumprimento seguinte:

1º - Mão na mão.................................. (2$50);
2º - Mão naquilo.................................. (15$00);
3º - Aquilo na mão.............................. (30$00);
4º - Aquilo naquilo.............................. (50$00);
5º - Aquilo atrás daquilo...................... (100$00);

Parágrafo Único - Com a língua naquilo ... 150$00 de multa, preso e fotografado.»

31 comentários:

Carmem L Vilanova disse...

Amiga,
Happy Valentine´s Day... Como nao podia deixar de ser, deixei uma pequena mensagem aos meus amigos lá no meu blog, e, claro, esta mensagem é para ti também!
Beijos, flores e muitos sorrisos para ti!

zália disse...

Tens toda a razão amiga e nós lutamos mt para que hoje assim seja
bjs

dolphin.s disse...

olá

faço-lhe uma visita por motivos menos agradaveis do que ter descoberto o seu blog por acaso.

vi que comentou aqui:
http://mgomes.blogspot.com/2006/01/sem-palavras.html

dandos os parabéns ao dono desse blog pelas fotografias.
como explico lá num comentário, e no meu blog (http://silencio.weblog.com.pt/), as fotos são minhas e estão a ser desonestamente usurpadas. achei por bem esclarecer, já que o senhor Manuel Gomes não o fez, mostrando de maneira evidente qual era a sua intenção.
Peço desculpa pelo incomodo, mas como há-de compreender, não o podia calar .

Maria Papoila disse...

Também não era permitido pela invicta cidade. Não sei as coimas nem a portaria... lembro-me do polícia que me bateu nas costas quando em plena baixa do Porto abracei e beijei o meu irmão que não via há um mês... Bom resto de dia, porque todos os dias são dias de amar. Beijo

Guerreiro da Luz & Freyja disse...

O dia dos namorados é todos os dias
Ainda bem que vivemos hoje em Liberdade.

Mendes Ferreira disse...

pois tomo a liberdade de comentar que o amor aqui é um


bem "original"....


beijos....livres....:)

augustoM disse...

Julinha, ninguém devia precisar de amor, deviam ser as pessoas o próprio amor.Feita a citação cá do pequeno, vamos ao resto. A tabela está bestial, só e´preciso que os preços não tenham aumentado. Mão no coiso ou coiso na mão está com um preço espectacular, e não é saldo, são os prços sempre baixos do bazar do Salazar. Com preços destes, até tenho saudades daqueles tempos, cruzes canhoto.
Um beijo. Augusto

lazuli disse...

Júlia, o teu texto complementado com estas mordomias camarárias é uma delicia. Rebolei a rir, salvo seja..

lembrei-me das multas papais, eis algumas do papa Leão X, no ano de 1517.
"1. O eclesiástico que cometa o pecado da carne, seja com freiras, seja com primas, sobrinhas ou afilhadas suas, ou seja, por fim, com qualquer outra mulher, será absolvido, mediante o pagamento de 67 libras e 12 soldos.
2.Se o eclesiástico, além do pecado da fornicação, quiser ser absolvido do pecado contra a natureza ou de bestialidade, deve pagar 219 libras e 15 soldos.Mas se tiver apenas cometido pecado contra a natureza com crianças ou com animais e não com mulheres, pagará unicamente 131 libras e 15 soldos.
3.O sacerdote que desflorar uma virgem, pagará 2 libras e 8 soldos.
4. A religiosa que quiser alcançar a dignidade de abadessa, depois de se ter entregue a um ou mais homens, simultânea ou sucessivamente, quer dentro quer fora do seu convento, pagará 131 libras e 15 soldos.
5. Os sacerdotes que quiserem viver maritalmente com parentes pagarão 76 libras e 1 soldo."

Amen...

Júlia Coutinho disse...

Lazulli, espectacular !!!
Onde foste buscar estas disposições papais ? Também quero...
Eu sou de História mas ... século XX, com variante de Arte.

Em breve colocarei aqui outras disposições salazaristas igualmente hilariantes.
Vais dia 4 a Santarém ?

Seila disse...

VERDADE!!! até me estou a envergopnhar (com esta idade) do post que ali coloquei! era assim sim senhor que bem me lembro!

lazuli disse...

Júlia, não devo poder ir mas só saberei á ultima hora.
Amanhã deixa no meu telefone o teu numero e depois ligo-te, sim?

quanto às benditas coimas papais, encontrei num blog amigo que certamente irás encontrar em Santarém, julgo eu.. o Odisseus..em:

http://odisseus.blogs.sapo.pt/arquivo/2005_12.html

Beijos e..saudades!

Fernando B. disse...

Se não estás satisfeita com o meu trabalho despede-ne...

Júlia Coutinho disse...

Ahahahaha... isso querias tu!
Beijinhos e... não sejas rezingão.

lazuli disse...

Lê-se cada uma..ó Fernando, sinceramente, se fosse a Julia apanhavas tau tau agora mesmo.

Friedrich disse...

Se ainda hoje assim fosse, quanto é que poderia ser hoje a multa - aquilo naquilo? E aquilo atrás daquilo - nem quero pensar, só não se percebe a quem se refere este item, ou isso seria indiferente…
Eh, eh, eh

Beijos

Anónimo disse...

:))))O que voçê descobre !:))))annie

Paula Raposo disse...

Adorei este teu post! Para mémoria futura, porque muitos não sabem que se pode namorar, mas que antes, neste país, não se podia! Moral e bons costumes...deixa-me rir!! Rir muito! Cambada de falsos pudores, de máscaras e moralismos sem nexo. Por acaso não me estás a ver agora, mas se visses, estou a faíscar com tanta falsidade camuflada e isso, foi no século XX!! Júlia, querida, adorei. Ontem, jantei sózinha. Beijinhos.

HarryHaller disse...

Interessante post, que nos dá a conhecer o Portugal Salazarista, regime obscuro e castrador da liberdade individual.
Só não entendo, a razão de quem fosse apanhado "com a lingua naquilo"passava a figurar para a posteridade através de fotografia, era multado e ainda preso.

Um abraço

Lobo das Estepes

Manuel disse...

Com aquelas coimas, actualizadas e aplicadas à situação muitas pares hoje estariam falidos.
Mas, sobretudo, o que importa é amar em liberdade, mas sem o exibicionismo patético que muits cultivam, que nada tem de amor.

Ana Luar disse...

Juro-te minha querida Julia que eu seria imediatamente fotografada e presa..... hahahahahah... ai desculpa, mas não resisti...sei que não devia rir de tempos que foram terriveis...mas adoraria ver a carita do Salazar se visitasse o alguns desses locais hoje. heheheh
Eu tb concordo que não precisamos de dias especificos para demonstrar amor...mas convelhamos que isto é uma mais valia para o comércio que anda por baixo....por isso vai lá comprar uma prendita e contribue para um sorriso de um lojista...quando fizer a cx ao fim do dia. beijo minha doce...e dá muitasssssssssssssss gargalhadas das tuas que só por si já são uma mais valia para quem a ouve....

Fernando B. disse...

Júlia, venho aqui de novo porque uma coisa é eu gerir o teu blog e outra é estar sempre a ser incomodado por "coisitas" que só me fazem perder tempo. É o caso dos comentários aqui, que são de única e exclusiva responsabilidade do servidor BLOGGER, a que nós temos de nos sujeitar, pois qualquer servidor tem os seus problemas técnicos ou de manutenção, até aqueles a quem se paga o alojamento, o que não é o caso deste.

Eu sou muito fraterno e estou sempre disposto a ajudar toda a gente, só peço em contrapartida, Amizade e consideração pela minha pessoa.

Estamos entendidos?

Betty Branco Martins disse...

Bem! estas multas - por favor!!!

Um post diferente, mas cheio de significado. Parabéns

Beijinhos

A Rapariga disse...

Ó Júlia o que é que o Salazar tem a ver com aquilo?
Aquilo o quê? Não percebo a que se referiam.
Não me lembro desta lei.
ai!ai!
eheheheheh
Beijinhos e bom fim de semana

henrique doria disse...

São muito boas as tuas causas, Menina Júlia.O Salazar nunca percebeu quanto eram boas as causas disto e daquilo. Tinha rancor à felicidade porque não acreditava nela neste mundo ( nem sei se no outro). Beijos.

Zecatelhado disse...

Eh,eh,eh, tenho que rir embora o caso na altura não tivesse graça nenhuma.
Julinha;
Uma boa semana para ti.

Um @bração do
Zecatelhado

LusitanaPaixão disse...

Que me desculpem os que me vão ler... Mas qual lingua a dele ou a dela... ou a dele e dela... naqulio...
Ai ai... O Salazar tinha aquilo e que fazia com aquilo?
Será que ele sabia para que servia aquilo?

Desculpem não me contive e dei com a lingua... nos dentes!

contradicoes disse...

Como vês Júlia este post contraria a tua tese no debate que tivemos pelo Gmail.
E sempre oportuno lembrar os mais distraídos que a liberdade para amar e de expressão, não é obra do acaso e antes nada disso era consentido. Daí nunca ser demais chamar a atenção sobretudo daqueles que não viveram no regime anterior que é importante preservarmos a nossa liberdade. Cum um abraço do Raul

Maio disse...

Cara Júlia

Parabéns pelo seu oportuno e esclarecido post.
Primeiro, porque embora editado no "Dia dos Namorados", nos fala da urgência e da necessidade de amar em cada dia da nossa vida. Afinal, como o Natal, o Amor é quando se quiser…
Depois, porque nos lembra — e nunca é demais recordá-lo — que nem sempre tivemos a liberdade de exprimir publicamente os nossos afectos, o nosso amor…
Finalmente, e embora extravase já o tema, porque me leva a dizer — opinião minha… — que a Liberdade, emboara tão importante como o ar que respiramos, pode ser usada para sermos felizes, nunca para ofender, agredir, explorar ou até escravizar quem quer que seja, como infelizmente ainda acontece, tantas vezes — demasiadas vezes — por esse mundo!

Abraço
Maio

disparosacidentais disse...

isto é serviço público. parabéns.

AQUENATÓN disse...

19 ANOS DEPOIS !
VIVA ZECA AFONSO, SEMPRE !

No céu cinzento sob o astro mudo
Batendo as asas pela noite ca lada
Vêm em bandos com pés ve ludo
Chupar o sangue fresco da manada.


Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhes franqueia as portas à chegada

Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada [Bis]

A toda a parte chegam os vampiros
Poisam nos prédios poisam nas calçadas
Trazem no ventre despojos antigos
Mas nada os prende ás vidas acabadas

São os mordomos do universo todo
Senhores à força mandadores sem lei
Enchem as tulhas bebem vinho novo
Dançam a ronda no pinhal do rei.

Eles comem tudo
Eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada

No chão do medo tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos na noite abafada
Jazem nos fossos vítimas dum credo
E não se esgota o sangue da manada

Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhe franqueia as portas à chegada
Eles comem tudo
eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada

Eles comem tudo
eles comem tudo
Eles comem tudo
E não deixam nada

Bjio

Joaninha disse...

Lembro-me de haver uma polícia de maus costumes... mas desta não sabia...mas também ainda era muito miúda e muito fachada nos tabus da época. Obrigada Júlia por nos trazeres pedaços de história que devemos lembrar para corrigir. Beijinho~