terça-feira, agosto 12, 2008

Apresento-vos a Elis Regina

Já conhecem o Miró. Hoje apresento-vos a Elis Regina, na foto tentando desalojar o Miró do cesto onde dormia calmamente. É o estilo dela: quando ele está muito sossegadinho no seu canto, ela, ladina e marota, salta para o seu lado e aninha-se à força, usurpando-lhe o espaço e deixando-o incomodado a ponto de o obrigar a mudar de poiso.
A Elis tem cinco anos e foi a minha amiga Ana Rebelo quem a foi buscar à "maternidade" e ma trouxe pequenininha e indefesa. Tive a surpresa de a encontrar quando cheguei a casa após uma cirurgia no Hospital dos Capuchos.
Lembro-me de chegar combalida e observar o Miró a um canto, a olhar curioso o novo membro da família, mas sem se aproximar, sem lhe dar confiança; enquanto ela, pequenina, retirada nesse dia à "família" mais parecia um passarinho assustado mas curioso, a cheirar todos os cantos da casa e a passear destemida mesmo nas "barbas" do Miró.
O nome surgiu-me naturalmente: a coragem desta menina acabadinha de chegar a um lugar desconhecido e a forma como se passeava imponente (apesar de cair imenso) frente ao gato da casa, desafiando-o, levaram-me a dar-lhe o nome da Elis Regina, a corajosa cantora-pimentinha que sempre admirei e que fez da sua vida um constante desafio que só a morte travou.
A Elis é uma sobrevivente e enfrenta todos os desafios. Ao contrário do Miró, mete tudo na boca e engole se lhe agrada. Por esse péssimo hábito já me pregou um grande susto. No seu primeiro Natal, e sem que eu desse por isso, engoliu uma fita natalícia. Começou a vomitar apesar do apetite que sempre a animava. Foi operada in extremis quando a fita já se enrolara nos intestinos e os estrangulava. Sobreviveu, felizmente.
Hoje, a Elis e o Miró são grandes amigos e não passam um sem o outro. Foi o melhor que fiz: ter dois meninos para fazerem companhia um ao outro.
E agora, meus amigos, vou de férias!
Até sempre!

5 comentários:

Pocahontas disse...

LINDOS!!! Sabes que uma das minhas gatas, a Becas, também chegou a comer uma fitinha de Natal, mas teve mais sorte... pois que um belo dia lhe vi uma coisa verde a sair do rabito e era a fita, portanto...
Lá fui puxando, com todo o cuidado a ver se não estava ser pior a emenda que o soneto, e a dita cuja lá saiu inteirinha e mal cheirosa quanto baste...
Boas férias miga! beijo muito grande!

Ana

Maria disse...

Muito prazer, Elis, eu sou a Maria...
:)))

(atchim, desculpa, é do pêlo...)

Boas férias, Júlia

Beijos

samuel disse...

Olá Júlia Coutinho (e Miró e Elis)

Eu sou o Samuel. Gosto de gatos e de pessoas que fazem blogs onde contam histórias como a do post "Parabéns, Maria Keil!"
Gostei tanto que levei a história "emprestada" para o meu blog... mas não foi por mal.

Abreijos

salvoconduto disse...

Olha olha, agora que aqui cheguei é que se vão embora.
Bom então o melhor é esperar.

Já agora, boas férias.

João Videira Santos disse...

A "gata" que conheci chamava-se Elis Regina e...cantava. E como cantava... Esta, mia...Imagino o par que faz com Miró...Criatividade e miadeira não lhes deve faltar...
(Carissima: Gostei desta singularidade.Abraço)