terça-feira, setembro 30, 2008

A minha memória de José Cardoso Pires

2 de Outubro
5ª feira
18h00
Casa Fernando Pessoa
R Coelho da Rocha 16 - Lisboa
No dia do seu nascimento
os amigos recordam

Com António Lobo Antunes

e Júlio Pomar




"Nenhum escritor gosta de falar do que escreveu a não ser em ocasiões muito, mas mesmo muito, especiais. Nenhum -- friso bem -- faz livros para complicar a vida."
José Cardoso

6 comentários:

RAA disse...

Boa noite!
Vi agora a sua pergunta sobre o Julião Quintinha, a propósito da carta do Camilo Pessanha. Respondi-lhe no meu blogue.
Para mim, o Julião Quintinha, além de ser uma figura a redescobrir urgentemente -- pertence àquele grupo notável de intelectuais anarquistas da primeira metade do século -- tem o interesse acrescido de ter sido um amigo chegado do Ferreira de Castro, autor a que tenho estudado.
Saudações cordiais.

RAA disse...

Não o Pessanha, mas o Morais, um pouco mais a Norte...

Júlia Coutinho disse...

Desculpe, Raa mas não percebi em qual dos blogues respondeu à minha pergunta...
Obrigada, de qualquer das formas.

Violeta disse...

De fugida vim espreitar. à noite leio com mais calma se a internet quiser funcionar...

RAA disse...

De nada. Abencerragem, post de 21-V-2006.

Paula Raposo disse...

Um excelente escritor! Beijos.