terça-feira, março 10, 2009

Poesia Reunida de M Teresa Horta


Foi
hoje
às 18,30
na
Casa
Fernando
Pessoa


Foi pelo final da tarde de hoje que nos encontrámos todos/as na «casa do poeta» (que a Inês, outra mulher de excelência dirige) para estarmos com a Teresa e a sua poesia, agora reunida e editada num único volume de 850 páginas, pela Dom Quixote, com prefácio de Maria João Reynaud e apresentada por Fernando J.B. Martinho.
Casa a abarrotar de amigos/as e admiradores/as da poetisa (um termo que muitos não gostam vá lá saber-se porquê) mas onde predominavam as mulheres que sabem bem o quanto devem à autora e à sua obra.
Maria Teresa Horta começou a publicar em 1960 e a sua poesia foi, desde sempre, como muitos testemunharam hoje, um «facho a arder» na vida de muitas mulheres portuguesas. Ela foi a voz das vozes silenciadas que não podiam, ou não sabiam, como gritar a revolta asfixiada e a sexualidade reprimida. Foi a arauta de uma revolução sexual feminina que tardava a chegar a este país pardacento.
Hoje ouvimos falar da originalidade da sua poesia, do seu erotismo e feminismo assumidos e nunca traídos, mas também do seu pioneirismo como dirigente cineclubista e até jornalistica, tendo desenvolvido um trabalho de extrema importância em a página cultural de A Capital, como bem salientou Fernando J. B. Martinho.
Ouvimos por fim alguns poemas ditos por si. Sempre precisos, essenciais. Tecidos pela palavra burilada e sensível da Teresa.
Poesia Reunida, como a autora defende, é um testemunho da sua vida para os outros. Uma dávida generosa cobrindo uma lacuna há muito sentida. Os seus livros encontram-se esgotados. As novas gerações precisam ler e conhecer Maria Teresa Horta. A sua poesia é necessária. Ainda e sempre.
Parabéns à Dom Quixote.
Obrigada, Teresa.

9 comentários:

Chinezzinha disse...

Olá Júlia.:)
Há muito que aqui não vinha. Hoje vi nos meus blogs favoritos a foto da Maria Teresa Horta e vim logo aqui.
Sobre o livro "Poesia Reunida" ainda outro dia fui à Fnac e fiquei de olho nesse livro. Como já tinha comprado vários livros na Wook, decidi deixar a compra para o mês que vem, já que não é muito barato. :(
Adoro ler os poemas dela. Prosa conheço pouco. Tenho aqui o livro da Visão que tem alguns contos mas ainda não tive tempo para ler nada.
Não sabia que a conhecias... :)
Beijinho grande
Ana

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Assim como o oceano só é belo com o luar
Assim como a canção só tem razão se cantar
Assim como uma nuvem só acontece se chover
Assim como o poeta só é grande se sofrer
Assim como viver sem ter amor não é viver

(Vinícius De Moraes/tom Jobim)

Desejo a voce um resto de semana maravilhoso
Abraços. Eduardo Poisl

Violeta disse...

Gosto muito da poesia de Maria teresa Horta.

clara disse...

Um beijinho à M.João Reynaud.A Teresa não conheço, senão como leitora e aprecio-a muito.O seu blog é lindíssimo.Parabéns

Maria disse...

Atrasada, atrasada e atrasada outra vez.
É o peso da idade...
mas se quiseres recuar até dia 8 recebe um abraço...

:))

UMA PAGINA PARA DOIS disse...

Recomeçar é renascer para a vida
Reconstruir é reparar os danos
Siga em frente sem olhar p'ra trás
Não te censures, pois somos Humanos!
(Pequenina)
Te desejo um domingo com muito amor e carinho
Abraços do amigo Eduardo Poisl

João Videira Santos disse...

Maria Teresa Horta, quem não gosta?

Ela é uma das três celebérrimas Marias!

Como sempre, mais um post oportuno!

A Rapariga disse...

Oi Julia!

Grande Grande a Maria Tereza Horta.

Salut!

Marta disse...

Outra Senhora da poesia portuguesa!






Gostei de chegar aqui!